Cuidados, Tratamentos e Serviços

Cuidados, Tratamentos e Serviços

Objetivo:

O objetivo destas diretrizes  é proceder a um serviço individualizado, planejado e adequado, em ambiente que seja propício à realização do tratamento e à recuperação do cliente.

Para atingir essa meta, a organização deve desempenhar apropriadamente as seguintes atividades:

  1. formulação, manutenção e apoio de um plano e processo de serviço ou tratamento, que seja específico para cada cliente. O tratamento e serviços prestados ao cliente têm como base as decisões tomadas a partir do resultado das análises dos dados coletados no decorrer das avaliações. O processo para se planejar o tratamento envolve a identificação de metas e as ações ou intervenções, que deverão resolver ou aliviar os problemas e as necessidades do cliente;
  2. implementação do plano de serviço ou tratamento. O exercício das ações ou intervenções identificadas durante o processo de planejamento é devido ao cliente ou a um funcionário da organização designado para esse fim. A execução dessas ações ou intervenções deve ocorrer de acordo com a política de procedimento da organização, bem como de acordo com os padrões de procedimento e as limitações do exercício profissional;
  3. elaboração de um plano de tratamento para clientes com permanência prevista para menos de sete dias. O profissional deve elaborar, no ato da inclusão, um plano de tratamento que abranja somente a reclamação principal e cujo início se dê no mesmo dia da inclusão;
  4. elaboração de um plano de tratamento para clientes com permanência prevista para mais de sete dias. O profissional deve elaborar um plano de tratamento inicial no ato da inclusão e, num prazo de 72 horas, um plano de tratamento que abranja todos os problemas identificados e cujo início se dê no mesmo dia da inclusão;
  5. anotação de problemas identificados. Para clientes com permanência prevista para menos de 24 horas, o profissional deve realizar somente anotações dos problemas identificados, seguir a prescrição médica ou de enfermagem e comunicá-las ao médico;
  6. monitoração dos resultados de tratamentos e serviços prestados ao cliente, ações ou intervenções efetuadas e resultados dos cuidados ou serviços prestados. Os funcionários da organização, responsáveis pela monitoração do cliente, devem reavaliá-lo, para determinar o progresso em direção à meta e à eficácia do plano, sempre que necessário, mas não menos que uma vez a cada trinta dias;
  7. modificação do plano de tratamento baseado na reavaliação, mudança nas prescrições, ordens de terapia e diagnósticos, necessidade de cuidados, tratamentos, serviços adicionais e consecução de metas. Em algumas circunstâncias, as decisões na modificação de serviços ou tratamento podem resultar na transferência do cliente para outro ambiente ou serviço, ou, ainda, levá-lo a receber alta da organização. Nesses casos, as atividades serão exercidas por membros de uma equipe multidisciplinar constituída por médico, enfermeiro, farmacêutico e outros componentes da equipe de tratamento. O papel e a responsabilidade de cada funcionário são determinados pelos cuidados, tratamentos e serviços que lhes são respectivos, designados pelos profissionais da equipe, a quem cabe, também, a responsabilidade pelas licenças profissionais, credenciais, limite de prática e escopo da função desse funcionário. Todas as intervenções devem respeitar e encorajar o direito do cliente de fazer escolhas, de desenvolver e manter um senso de realização e de decidir sobre continuar ou modificar sua participação no processo de tratamento. O estabelecimento desses padrões propicia à organização e a seus funcionários uma direção lógica acerca dos componentes de tratamento e serviço. No entanto, os padrões não prescrevem um sistema ou método particular para documentar as ações de plano de tratamento.

Diretrizes:

  • O plano de tratamento deve ser elaborado de forma que garanta rigorosa adequação dos cuidados e serviços às necessidades e problemas do cliente, atendendo com especificidade a cada necessidade ou problema.
  • O processo de elaboração do tratamento deve considerar a especificidade dos problemas e necessidades de cada cliente, obedecendo aos seguintes itens: a) metas almejadas pelo cliente em relação ao tratamento; b) todos os cuidados (tratamentos) e serviços específicos a serem propiciados pela organização; c) implementações necessárias para que se alcance a meta.
  • É necessário que o coordenador médico participe da elaboração do plano de tratamento, de acordo com os tratamentos prescritos pelo médico titular e com as leis e regulamentações da saúde.
  • As leis e regulamentações da saúde devem ser as diretrizes que orientem a provisão do tratamento.
  • As ordens de terapia e diagnóstico devem ser revistas e, se necessário, corrigidas pelo médico, ou pessoa autorizada para tanto, sempre que forem aplicáveis ao tratamento e/ou cuidado que estiverem sendo prestados ao cliente.
  • Os cuidados e tratamentos prestados ao cliente devem estar em concordância com padrões de prática e com as políticas organizacionais reconhecidas e aceitas para essa modalidade de serviço.
  • O tratamento do cliente terminal deve otimizar o seu conforto e dignidade, prevendo:
  1. as intervenções que devem ser tomadas para gerenciar a dor e os sintomas adversos;
  2. o controle e o gerenciamento das respostas dos sintomas adversos ao tratamento propiciado;
  3. os fatores emocionais, psicológicos e espirituais (de forma significativa para o bem-estar do cliente), que devem ser gerenciados durante o curso do tratamento.
    • O cliente deve ter acesso às informações referentes aos resultados ou progressos advindos dos tratamentos propiciados.
    • O médico responsável pelo cliente deve receber (com regularidade adequada à meta do plano de tratamento) relatórios sobre a condição e os progressos do cliente no curso de seu tratamento.
    • O plano de tratamento deve incluir, conforme a necessidade se apresente, uma auditoria e revisão do progresso do cliente.
    • A empresa de Home Care deve possuir políticas de procedimentos que orientem os seus médicos sobre responsabilidades que lhes são devidas ao gerenciarem os cuidados de saúde e tratamento do cliente.
    • Os médicos a serviço da organização devem ser informados a respeito das políticas de procedimento da mesma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *