Desvantagens

  1. Para o profissional de saúde que não possui um veículo, o trabalho em home care envolve transporte urbano que muitas vezes, dependendo do horário, não é disponível, e dependendo do horário, o transporte urbano é superlotado;
  2. Para o profissional que não tenha seu veículo próprio, ter que andar em dias de extremos de temperatura ou chuva forte pode ser um grande desafio;
  3. O profissional que trabalha em turnos, muitas vezes se vê restrito a um cômodo da residência reservado ao paciente;
  4. Muitas vezes em home care, o ambiente de cuidados não é compatível com o nível de cuidados, principalmente como resultado da falta de autorização da fonte pagadora de se fazer uma análise presencial do ambiente de trabalho proposto;
  5. O profissional em home care, inevitavelmente, está presente durante quase todos os momentos do relacionamento familiar, podendo, se não tiver cautela, ser induzido a, de forma involuntária, participar da vida pessoal do paciente e família;
  6. Devido ao fato de que o registro em carteira inviabilizaria o custo do profissional em home care, e as fontes pagadoras não remuneram o suficiente para dar cobertura em regime de CLT. O profissional de saúde m home care, na sua maioria, trabalha na informalidade, não contando assim com os benefícios de um trabalho em regime de CLT;
  7. O profissional em home care está exposto às intempéries emocionais da família;
  8. Algumas vezes, por força da personalidade e estado emocional dos cuidadores informais, o profissional em home care pode ser exposto à situações de constrangimento;
  9. Algumas famílias não concordam em alimentar os profissionais de saúde, forçando-os a manter uma alimentação inferior;
  10. O profissional em regime de turnos, não pode deixar o paciente sozinho, este fato, quando não existe um cuidador disponível, pode dificultar a execução de certas tarefas fisiológicas;
  11. Sendo um profissional, e uma pessoa estranha no ambiente domiciliar, qualquer evento adverso, faz do profissional, o primeiro suspeito;
  12. Nos turnos, se um colega profissional não aparece para assumir o próximo turno, o profissional que já trabalhou um turno tem a obrigação de esperar um substituto que geralmente demora o tempo necessário para o deslocamento, isto pode vir a interferir com outras escalas de trabalho;
  13. Como não existe supervisão direta contínua, o profissional em home care deve estar preparado para assumir, e gerenciar da melhor forma possível, situações de urgência e emergência.

Edvaldo de Oliveira Leme, R.N.C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *