Precisamos de Boas Ideias

Um dos maiores desafios das empresas de home care no Brasil é o “furo de escala”. Profissionais que prometem assumir um plantão e nos últimos minutos ligam avisando que que não irão por alguma razão, outras vezes sequer ligam. O “Furo de Escala” provoca imensuráveis transtornos para a equipe profissional, forçando, por motivos de ética, o profissional que já completou o seu turno a permanecer na casa do paciente até que a equipe consiga arrumar alguém para substituí-lo.

Na maioria das vezes, o profissional que já terminou o seu turno simplesmente abandona o paciente com o cuidador leigo, colocando o paciente em risco de agravamento de quadro e até mesmo de morte. Vezes, o profissional que já trabalhou um turno tem outros compromissos profissionais e se vê num aperto muito grande, outras vezes, o profissional apenas abandona o paciente pois se sente indignado pela situação. De qualquer forma, abandonar o paciente é desumano e uma clara violação de leis federais específicas e pode resultar até mesmo em encarceramento, suspensão ou perda da licença profissional. Assim, nós que trabalhamos nesta área, precisamos de ideias para reduzir e ou eliminar esta situação gravíssima. Alguém tem alguma ideia para colocarmos em prática?

25 comentários em “Precisamos de Boas Ideias

  • 28 de setembro de 2017 em 23:43
    Permalink

    Prezados senhores,
    infelizmente não tenho ideia para resolver este grave e sério problema apresentado. Mas tenho um projeto que se insere na proposta dos senhores e que gostaria de merecer uma avaliação. E, se possível, ajuda para realizá-la. Trata-se de uma prestação de serviço adicional, de um plus, ao trabalho fantástico do Cuidador. Tenho 80 anos, sou publicitário e jornalista, fiz pós graduação em docência do ensino superior, trabalhei 17 anos como professor na Universidade Veiga de Almeida (Comunicação Social) e desenvolvi uma excelente experiência agregando valores e consolidando conhecimento junto a centenas de alunos. Ofereci um serviço extra, que não é ensinado nas escolas, de graça. Eu já era remunerado para dar aulas. Saindo da Veiga, resolvi desenvolver este projeto e tentar viabilizá-lo junto ao segmento de “Idosos Muito Ativos”. Preciso ganhar alguma coisa para me viabilizar economicamente. Mas uma boa parte do trabalho pode ser desenvolvida na base de voluntariado. O que vem a ser esta “prestação de serviço”? Detectar idosos que queiram, gostem, precisem de alguém que leiam para eles (romances, revistas, jornais, textos, poesia etc.); que se interessem em conversar, trocar ideias, motiva-los à reflexão; ouvir suas histórias, narrativas, fantasias e, quem sabe? havendo interesse, coletar este material e transformar em livro. Minha proposta é visitar o Idoso Muito Ativo diariamente, duas ou três vezes por semana, uma vez por quinzena ou por mês, enfim, como ele quiser, precisar. E através destas visitas, destes encontros, tornar-se útil, levando para ele informações que, sozinho, ele não tem condições de obter. Muitas famílias abandonam seus Idosos, não lhes dando atenção. E, não obstante o bom trato que possam ter nesta ou naquela clínica, neste ou naquele asilo ou home care, normalmente, os serviços oferecidos não cobrem esta área que é complementar e que muito pode acrescentar à vida do Idoso.
    Havendo interesse de implantar o serviço nesta organização, oferecendo um adicional ao excelente serviço que já prestam, coloco-me à disposição para trocar ideias e detalhar mais o projeto. Sem mais, agradecidamente pela atenção, Isnard Manso Vieira.

    Resposta
    • 20 de março de 2018 em 17:01
      Permalink

      Podes entrar em contato via e-mail!

      Resposta
    • 21 de maio de 2018 em 21:07
      Permalink

      Entre em contato conosco via e-mail!

      Resposta
  • 19 de dezembro de 2016 em 10:20
    Permalink

    Prezados,

    Eu possuo uma solução de home-care que pode ajudar em várias questões sobre cuidadosos.

    Como posso fazer contato diretamente com vocês?

    Meu número é: (61) 9 9989-5524

    Resposta
    • 20 de março de 2018 em 17:16
      Permalink

      Utilize o e-mail do portal, por gentileza!

      Resposta
    • 22 de maio de 2018 em 11:05
      Permalink

      Comunique-se via e-mail!

      Resposta
  • 14 de outubro de 2016 em 12:27
    Permalink

    Bola sou próprietária de uma home e foi árduo o início, hoje amenizo o problema tendo uma equipe de sobre aviso onde pago um valor diferenciado, bem como trabalho auto estima bonificação quem não tem falta e atraso.
    Trabalhar o ciclo multinacional ajuda muito.
    Ao perceber que o profissional não tem compromisso providência o desligamento.

    Resposta
    • 7 de março de 2018 em 11:19
      Permalink

      Boas estratégias!

      Resposta
    • 20 de março de 2018 em 17:02
      Permalink

      Parece-me uma boa estratégia; considerando a idade do post, como está sua operação?

      Resposta
    • 6 de maio de 2018 em 16:42
      Permalink

      Boa estratégia, espero que outros leiam seu texto!

      Resposta
  • 23 de maio de 2016 em 15:52
    Permalink

    Boa tarde.
    Na verdade, eu não acredito que exista uma receita milagrosa que evite o furo de escala mas existem maneiras de minimizar os impactos como: fidelizar a escala, realizar o monitoramento dos profissionais com ao menos uma hora de antecedência ao plantão e deixar profissionais disponíveis para cobertura de possíveis furos e por região. Fechar as escalas com o folguista já determinado e as folgas já definidas.
    É trabalhoso porém, é mais prudente gerenciar folgas do que gerenciar furos e faltas.

    Resposta
    • 6 de março de 2018 em 16:09
      Permalink

      Obrigado pela sua participação Ana Claudia Melo. As estratégias relatadas aqui são boas de se considerar. Cadastre sua empresa no Portal Home Care.

      Resposta
    • 20 de março de 2018 em 17:04
      Permalink

      Suas estratégias parecem fazer sentido, principalmente o monitoramento para prevenir surpresas!

      Resposta
  • 19 de fevereiro de 2016 em 09:09
    Permalink

    A solução para estes casos é que as empresas de Home Care pague por profissionais que ficam em regime de sobreaviso, dentro da base, para cobrir os furos ocasionados por profissionais informais.
    Desta forma, garante o atendimento em casos de força maior, onde o profissional escalado não pode assumir a escala.

    Resposta
    • 20 de março de 2018 em 17:19
      Permalink

      “em regime de sobreaviso, dentro da base, para cobrir os furos ocasionados por profissionais informais” qual seria o custo disso?

      Resposta
      • 6 de maio de 2018 em 16:41
        Permalink

        Esta resposta está no texto de seu sindicato profissional!

    • 6 de maio de 2018 em 16:46
      Permalink

      E o custo de manter um profissional na base em regime de sobreaviso? As operações em home care, se feita adequadamente, tem que se pagar, cada recurso, seja um Auxiliar de Enfermagem ou uma seringa, tem que se pagar, assim não se pode ter um recurso não cobrável estacionado em sobre aviso pois aumentará o custo fixo da empresa!

      Resposta
  • 4 de fevereiro de 2016 em 11:06
    Permalink

    Bom a respeito dessa situação, precisamos entender o pouco de cada profissional, como o exemplo acima citado, para esse tipo de trabalho penso eu, que além de fichar esses funcionários precisaríamos melhorar sua condição em nossas empresas, por exemplo oferendo: plano de saúde, quem sabe vale refeição, essa opinião é para amenizar esse tipo de transtorno causado principalmente ao paciente, trazendo assim aos profissionais um pouco mais de segurança financeira, e que isso possa mudar em suas ideias e transformando essa equipe multifuncional em satisfação ao nosso público com serviços prestados de primeiro mundo…..

    Resposta
    • 6 de março de 2018 em 16:12
      Permalink

      Eli Soares, se a sua realidade permite tais estratégias, isso é bom!

      Resposta
    • 20 de março de 2018 em 17:07
      Permalink

      Não sou contra melhorar sempre as condições dos trabalhadores, porém a realidade do home care no Brasil não nos deixa muito espaço para manobra. Em home care é um erro ter um custo além do que se cobra da fonte pagadora com base na margem de outros produtos vendidos, pois a qualquer momento os outros serviços e produtos podem ser descontinuados e a empresa de home care não terá como fazer o caso específico se pagar.

      Resposta
    • 6 de maio de 2018 em 16:47
      Permalink

      Esta é a sua realidade?

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *