Vantagens e Desvantagens para o Paciente

Vantagens

Muito é dito a respeito das vantagens que o home care oferece ao paciente; muito do que é dito, quase sempre, não é levado a sério pelas pessoas que jamais tiveram uma experiência com esta modalidade de serviços. Perceba que digitei “pessoas que nunca tiveram uma experiência com a modalidade”, com isto, quis deixar claro que, somente pessoas que jamais tiveram uma experiência com o home care, não levarão a sério a afirmação de que o home care trás incontáveis vantagens para o paciente. Não são poucos os testemunhos de pacientes, familiares e ou profissionais de saúde que, empolgadamente, relatam como o paciente melhorou sua saúde rapidamente após ter sido transferido de um hospital ao seu ambiente domiciliar. Em nossa prática, observamos diariamente como os pacientes melhoram rapidamente de suas enfermidades no ambiente do lar. Temos relatos de pacientes que foram enviados para casa por seus médicos titulares com o intuito de transitar para a morte, serem gerenciados pelo programa de cuidados paliativos, más que, porém, ao se estabelecerem em seus ambientes familiares, junto à suas coisas e pessoas que os amam, estes pacientes tem a experiência de uma recuperação espantosa, muitas vezes, indo contra os seus prognósticos, outras vezes, vivendo muito mais tempo do que fora estimado pelos seus médicos. Esta melhora mais rápida, assim como este prolongamento da vida são consequência de um estado mental superior, um estado mental onde o paciente se sente protegido e amado no seu ambiente do lar. Sabemos ainda, que, psicologicamente, os pacientes passam a encarar o fato de estarem em suas residências como um forte sinal de melhora de quadro. O paciente, quando está no hospital, se sente doente, pois o hospital é para pessoas doentes, enquanto, ao serem transferidos para os seus lares, eles interpretam a situação como se já não estivessem mais doentes, ou pelo menos não tão doentes, pois, ir para casa após uma hospitalização, é sinônimo de se estar recebendo alta do hospital e deixando a enfermidade para traz- se vou para casa é porque não estou mais doente. Logicamente, que existem muitas outras vantagens além de uma recuperação mais rápida, e ou a prolongação de uma vida com qualidade e dignidade, porém, por julgar estas razões suficientemente superiores a quaisquer outras, não se faz necessário listar outras vantagens, pois, o que é mais importante do que a saúde e a dignidade humana?

Desvantagens

Enquanto em regime de internamento hospitalar o paciente tem acesso imediato à todos os serviços e recursos que podem ser prescritos pelo seu médico responsável, em regime de home care, todos os recursos que forem necessários e que não tiverem sido autorizados previamente pelo plano de saúde, não serão liberados de imediato, necessitando assim de um processo burocrático que pode ou não culminar

O tratamento de home care, embora previsto no rol de procedimentos obrigatórios pelos planos de saúde, a resolução 211 da ANS tem linguagem dúbia, e deixa muita brecha para que a fonte pagadora não autorize os mesmos recursos que teria que autorizar em regime de internamento hospitalar.

Não há regulamentação específica que obrigue o plano de saúde a prover cobertura aos serviços de home care, assim, fica a encargo dos auditores médicos e enfermeiros dos planos de saúde, autorizar ou não os serviços.

Para a fonte pagadora, a decisão de autorizar ou não é, muitas vezes, uma decisão financeira, onde somente a vantagem baseada no menor custo é considerada.

Muitos planos de saúde utilizam as empresas de home care como um degrau para a deshospitalização e alta do paciente. Pois, em regime de internamento domiciliar à saúde, por não existir regulamentação específica, o “desmame” do paciente é bem mais fácil.

Em regime de home care, o paciente pode não ter direito à muitos dos recursos que teria se estivesse em regime de internamento hospitalar.

Enquanto no hospital, o paciente conta com um a equipe multidisciplinar sempre presente, em home care, se houver a necessidade de um profissional de saúde que não faça parte de sua equipe permanente, o paciente terá que esperar até que este profissional se desloque até ele.

O auxiliar de enfermagem encarregado do paciente não tem como ausentar-se do paciente, portanto, este não desfruta de um período para almoçar ou períodos de descanso durante seu turno, isso faz com que, na maioria dos casos, o profissional se torne dependente da família para sua alimentação. Na maioria dos casos, o auxiliar almoça na resid6encia do paciente para manter vigilância do paciente, esta alimentação aumenta a despesa mensal do paciente.

Os equipamentos médicos elétricos e eletrônicos consumem eletricidade adicional, aumentando as despesas relacionadas com a eletricidade.

A equipe de cuidadores formais ( auxiliares de enfermagem, enfermeiros, fisioterapeutas) utilizam-se da água e do esgoto e outros suprimentos, aumentando as despesas relacionadas com estes recursos.

Edvaldo de Oliveira Leme, R.N.C.